Dos limites do crescimento à gestão da sustentabilidade no processo de desenvolvimento

Hans Michael van Bellen, Anna Cecília Mendonça Amaral Petrassi

Resumo


Este trabalho apresenta uma síntese da evolução histórica e da ligação entre os conceitos de sustentabilidade e desenvolvimento, desde a percepção, ainda incipiente, da crise ambiental, ocorrida na década de 1960, até as mais recentes conferências do clima promovidas pela ONU. Após a introdução, o segundo item apresenta a evolução da percepção da crise ambiental pela sociedade até o entendimento de que existem limites ecológicos para o crescimento, dado o modelo vigente de desenvolvimento. O terceiro item aborda os conceitos de ecodesenvolvimento, conforme delineado por Sachs, passando pela inclusão da categoria territorial até chegar ao conceito de desenvolvimento territorial sustentável. No quarto item é vista a perspectiva do desenvolvimento sustentável, são analisados tanto a sua dimensão de conceito apaziguador proposta pela ONU, como os avanços ocorridos desde a década de 1990 até os dias atuais, sem deixar de expor o paradoxo de se almejar equilibrar crescimento econômico ilimitado com um meio ambiente que não se deteriore ou entre em colapso. Conclui-se com a constatação de não ser possível optar por uma única, estática e abrangente definição para o desenvolvimento sustentável. Por fim, fica o convite, ou provocação, para se repensar a ideia de sustentabilidade como elemento substantivo do desenvolvimento e não mais como seu adjetivo. Fica também a sugestão de exercitar a construção de novos modelos mentais e de governança, dado a declarada falência dos atuais.

Palavras-chave


Desenvolvimento Sustentável; Ecodesenvolvimento; Sustentabilidade; Crise Ambiental; Gestão da Sustentabilidade

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, R. Agricultura familiar e desenvolvimento territorial. Reforma Agrária – Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária, v. 28 nºs 1,2 3 e 29, nº1, Jan/dez 1998 e jan/ago 1999 1999.

ABRAMOVAY, R. Para uma teoria dos estudos territoriais. In: MANZANAL, M.; NEIMAN, G.; LATTUADA, M. Desarrollo rural. Buenos Aires: Ediciones Ciccus, 2006.

Cap. p.51-70.

ALMEIDA, J. Da ideologia do progresso à ideia de Desenvolvimento Rural Sustentável. In: ALMEIDA, J.; NAVARRO, Z. Reconstruindo a agricultura: idéias e ideais na busca do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: Editora da Universidade (UFRGS), 1997.

ANDION, C. Tese de Doutorado - Atuação das ONGs nas dinâmicas de desenvolvimento territorial sustentável no meio rural de Santa Catarina: Os casos da APACO, do Centro Vianei de Educação Populare da AGRECO. UFSC. Florianópolis. 2007.

CAPRA, F. A teia da vida. São Paulo: Cultrix, 1996.

CAVALCANTI, C. Sustentabilidade: mantra ou escolha moral? uma abordagem ecológicoeconômica. Estudos Avançados, São Paulo, v. 26, n. 74, 2012.

CMMAD. Nosso Futuro Comum. COMISSÃO MUNDIAL SOBRE O MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Rio de Janeiro: FGV. 1991.

DALY, H. E. TOWARD SOME OPERATIONAL PRINCIPLES OF SUSTAINABLE DEVELOPMENT. Ecological Economics, Amsterdam, v. 2, p. 1-6, 1990.

DALY, H. E. A Steady-State Economy. Sustainable Development Commission, UK. [S.l.]. 2008.

ENVIRONMENTAL HISTORY TIMELINE. 20th Century. Environmental History Timeline. Disponivel em: . Acesso em: out 2016.

FREY, K. A dimensão político-democrática nas teorias de desenvolvimento sustentável e suas implicações para a gestão local. Ambiente e Sociedade, Campinas, v. 9, 2001.

GADOTTI, M. Pedagogia da Terra e Cultura de Sustentabilidade. Revista Lusófona de Educação, v. 6, p. 15-29, 2005.

GUZZATTI, T. C. O AGROTURISMO COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO RURAL; SISTEMATIZAÇÃO E ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS

UTILIZADAS PARA A IMPLANTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE AGROTURISMO NAS ENCOSTAS DA SERRA GERAL CATARINENSE. Dissertação de Mestrado em

Engenharia de Produção - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

GUZZATTI, T. C.; TURES, V. A. O papel da Associação de Agroturismo Acolhida na Colônia (SC) na construção de políticas públicas de turismo focadas no desenvolvimento rural e na promoção da agricultura familiar. V ENAPGS - Encontro Nacional de Pesquisadores

de Gestão Social, Florianópolis, maio 2011.

JACKSON, T. Propoeridade sem Crescimento: Vida Boa em um Planeta Finito. São Paulo: Abril, 2013.

KOVALSKI, R. A. Desenvolvimento territorial sustentável: uma análise da evolução do pensamento humano em relação à consciência sobre o meio ambiente. Humanidades, Recife, v. 31, n. 1, p. 101-120, jan/jun 2016.

KRÜGER, E. L. Uma abordagem sistêmica da atual crise ambiental. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, v. 4, p. 37-43, jul/dez 2001.

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 5. ed. São paulo: Perspectiva, 1998.

LAMARCHE, H. A agricultura familiar: comparação internacional. Campinas: UNICAMP, v. 2, 1998.

LANGENBERGER, D.; ANDION, C. O DESAFIO DO DESENVOLVIMENTO DURÁVEL EM PAÍSES INDUSTRIALIZADOS E EMERGENTES: UMA ANÁLISE COMPARADA

DA RESPONSABILIDADE AMBIENTAL NA ALEMANHA E NO BRASIL. Alcance, v. 11, n. 3, p. 377-401, set/dez 2004.

LATOUCHE, S. Tratado do Decrescimento Sereno. [S.l.]: Martins Fontes, 2012.

LÉVESQUE, B. Economia plural e desenvolvimento territorial na perspectiva do desenvolvimento sustentável:Elementos teóricos de sociologia econômica e de

socioeconomia. Política&Sociedade, v. 14, p. 107-144, abril 2009.

MEADOWS, D. H. et al. The limits of growth. The Club of Rome's Project. [S.l.]. 1972.

MONTIBELLER FILHO, G. ECODESENVOLVIMENTO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Textos de Economia, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 131-142, 1993.

OLSON, M. A lógica da ação coletiva. São Paulo: Editora da USP, 2011.

PEARCE, D. Blueprint to the green economy. ResearchGate. [S.l.]. 1989.

PECQUEUR, B. Qualidade e desenvolvimento territórial: a hipótese da cesta de bens e de serviços territorializados. Eisforia, Florianópolis, v. IV, p. 135-153, dez 2006. ISSN 1677-2415.

PNUMA; IBAMA; UMA. INTEGRAÇÃO ENTRE O MEIO AMBIENTE E O DESENVOLVIMENTO: 1972-2002. In: PNUMA; IBAMA; UMA Global Environment

Outlook 3.- Perspectivas do Meio Ambiente Mundial - 2002. [S.l.]: [s.n.], 2004.

SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vertica, 1986.

SACHS, I. Em busca de novas estratégias de desenvolvimento. Estudos Avançados, v. 9, n. 25, set/dez 1995.

SACHS, I. Brasil rural: da redescorberta à invenção. Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 15, n. 43, Dezembro 2001. ISSN 0103-4014.

SACHS, I. Desenvolvimento: includente, sustentável e sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SACHS, I. Revisiting Development in the Twenty-First Century. International Journal of Political Economy, v. 38, n. 3, p. 5-21, 2009.

SCHNEIDER, S. A abordagem territorial do desenvolvimento rural e suas articulações externas. Sociologias, Porto Alegre, v. ano 6, n. 11, p. 88-125, jan/jun 2004.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SERVA, M. A dimensão sócio-organizacional do desenvolvimento sustentável. Anais do I EBANGRAD. Salvador: [s.n.]. 1999.

THE ECONOMIST. Triple bottom line. The Economist, 2009. Disponivel em: . Acesso em: outubro 2016.

VALE, F. F. R. D.; SILVA, J. L. M. D. DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM TERRITÓRIOS DO RIO GRANDE DO NORTE: UMA ANÁLISE

MULTIDIMENSIONAL. Google Academics, 2009. Acesso em: janeiro 2012.

VAN BELLEN, H. M. Indicadores de Sustentabilidade: uma análise comparativa (Tese de Doutorado em Engenharia de Produção). UFSC. Florianópolis. 2002.

VAN BELLEN, H. M. Indicadores de Sustentabilidade: uma análise comparativa. 2ª. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

VEIGA, J. E. A Desgovernança Mundial da Sustentabilidade. São Paulo: 34, 2013.

VEIGA, J. E. D. O Brasil rural ainda não encontrou seu eixo de desenvolvimento. ESTUDOS AVANÇADOS 15 (43), 2001. Disponivel em: . Acesso em: dezembro 2011.

VEIGA, J. E. D. Cidades Imaginárias. Campinas: Autores Associados, 2003.

VEIGA, J. E. D. Cidades Imaginárias. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

VEIGA, J. E. D. O âmago da sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 28, n. 82, 2014.

VEIGA, J. E. D.; CECHIN, A. D. A economia ecológica e evolucionária de Georgescu-Roegen. Revista de Economia Política, v. 30, n. 3, p. 438-454, jul/set 2010.

VIEIRA, P. F. Rumo ao desenvolvimento territorial sustentável: esboço de roteiro metodologico participativo. Eisforia, Florianopolis, dez 2006. 249-309.

VIEIRA, P. F. Políticas ambientais no Brasil: Do preservacionismo do desenvolvimento territorial sustentável. Política&Sociedade, v. 14, p. 27-75, 2009.

VIEIRA, P. F. DO DESENVOLVIMENTO LOCAL AO ECODESENVOLVIMENTO TERRITORIAL. Interthesis, Florianópolis, v. 10, n. 2, p. 119-141, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.