Sustentabilidade na produção artesanal de vinho nos Vales da Uva Goethe - Santa Catarina

Vinicius Medeiros Réus, Júlio César Zilli, Adriana Carvalho Pinto Vieira

Resumo


Este artigo tem como objetivo identificar as práticas sustentáveis na produção de vinho nos Vales da Uva Goethe. Metodologicamente, caracterizou-se quanto aos fins, como uma pesquisa descritiva, e quanto aos meios de investigação, como bibliográfica e um estudo de caso. Para a coleta dos dados foi realizada uma entrevista com os colaboradores da vinícola pertencente aos Vales da Uva Goethe, por meio de uma abordagem qualitativa. A vinícola em estudo é reconhecida na região e busca constantemente melhorar a qualidade da sua produção, principalmente após a conquista do registro da Indicação Geográfica, concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, em 2012. A partir dos resultados da pesquisa foram identificadas algumas práticas sustentáveis como o reaproveitamento de outras partes da fruta, reutilização das garrafas e a economia de energia. Estas práticas são importantes e de grande valia não só para a empresa, bem como para toda a sociedade, de acordo com os princípios de práticas sustentáveis. Sugere-se que a vinícola esteja sempre inovando em suas práticas de produção e comercialização, afim de que, se torne cada vez mais competitiva em seu ramo de atuação, respeitando o meio ambiente.

Palavras-chave


Sustentabilidade; Vales da Uva Goethe; Vitivinicultura

Texto completo:

PDF

Referências


ALTIERI, M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 5. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

AFONSO, C. M. Sustentabilidade caminho ou utopia? São Paulo: Annapume, 2006.

BARBIERI, J. C.; CAJAZEIRA, J. E. R. Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria à prática. São Paulo: Saraiva, 2009.

BARROS, A. S.; LEHFELD, N. A. S. Fundamentos de metodologia: um guia para iniciação científica. 2.ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

BATISTA, G. Sustentabilidade Ambiental – Desenvolvimento e proteção. 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2015.

BUAINAIN, A. M. Agricultura familiar, agroecologia e desenvolvimento sustentável: questões para debate. Brasília: IICA, 2006

CERVO, A.L.; BERVIAN, P.A.; DA SILVA, R. Metodologia científica. 6. Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

CORAL, E. Modelo de planejamento estratégico para a sustentabilidade empresarial. 2002. 282f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis – SC, 2002.

COSTA, J. Sustentabilidade ecológica. 2013. Disponível em:. Acesso em: 18 ago. 2015.

ELKINGTON, J. Sustentabilidade: canibais com garfo e faca. São Paulo: M. Books do Brasil, 2012.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed São Paulo: Atlas, 2002.

GIORDANO, S. R. Gestão Ambiental no Sistema Agroindustrial. In: ZYLBERSZTAJN, D.; NEVES, M. F. Economia e Gestão dos Negócios Agroalimentares: indústria de alimentos, indústria de insumos, produção agropecuária, distribuição. 1. ed. – 3. reimpr. – São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

LABUSCHAGNE, C.; BRENT, A. C.; VAN ERCK, R.P.G. Assessing the Sustainability Performances of industries. Journal of Cleaner Producrion, v.13. 2004.

LEONARDI, I. Sustentabilidade Espacial. 2012. Disponível em: Acesso em: 18 ago. 2015.

LINS, C. Sustentabilidade Econômica: O que é, conceito, exemplos, importância, resumo,

desafio, ações sustentáveis economicamente, vantagens, nas empresas e governos. 2012. Disponível em: http://www.suapesquisa.com/economia/sustentabilidade_economica.htm Acesso em: 19 ago. 2015.

MAESTRELLI, S. R. Do parreiral à taça: o vinho através da história. Urussanga: EPAGRI, 2011.

MARTINS, R.B. Metodologia científica: como tornar mais agradável a elaboração de trabalhos acadêmicos. Curitiba, PR: Juruá, 2004.

MARTINS, G. de A.; THEOPHILO, C. R. Metodologia da investigação cientifica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2009.

MATTAR, F.N. Pesquisa de Marketing. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1996.

MIKHAILOVA, I. Sustentabilidade: Evolução dos conceitos teóricos e os problemas da mensuração pratica. Revista econômica e Desenvolvimento, n°16. 2004. Disponível em: http://w3.ufsm.br/depcie/arquivos/artigo/ii_sustentabilidade.pdf . Acesso em: 13 ago.

MOTIBELLER FILHO, G. As teorias clássicas do desenvolvimento econômico examinadas sob a ótica ecológica. In: O mito do desenvolvimento sustentável. Meio ambiente e custos sociais no moderno sistema produtor de mercadorias. Santa Catarina: Editora da UFSC. 2001

NASCIMENTO, E. P. Trajetória da sustentabilidade: Do ambiental ao social, do social ao econômico. 2001 – Universidade de Brasília (UnB). Disponível em:

. Acesso em: 13 ago. 2015.

PÂDUA, E.M. M. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico – pratica. 13ed. São Paulo: Papirus. 2007.

PENSAMENTO VERDE. 2013. Disponível em: Acesso em: 18 ago. 2015.

PROGOETHE. Histórico. 2015. Disponível em: Acesso em: 01 set. 2015.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2000.

SANTOS, F. O que é sustentabilidade econômica? 2014. Disponível em: http://nuvendigital.com/blog/2013/01/09/o-que-e-sustentabilidade-economica/ Acesso em:

ago. 2015.

SANTOS, L. F. Sustentabilidade Social: Porque ela é importante? 2013. Disponível em: Acesso em: 19 ago. 2015.

SAVITZ, A. W.; WEBER, K. A Empresa Sustentável: o verdadeiro sucesso é o lucro com responsabilidade social e ambiental. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

VALES DA UVA GOETHE. Histórico ProGoethe. 2015. Disponível em: Acesso dia: 13 ago. 2015.

VELLOSO, C. Q. Indicação geográfica e desenvolvimento territorial sustentável: a atuação dos atores sociais nas dinâmicas de desenvolvimento territorial a partir da ligação do produto ao território: Um estudo de caso em Urussanga, SC. Dissertação (Mestrado em Agroecossistemas) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Florianópolis, 2008.

VIANNA, I. O. Metodologia do trabalho científico: um enfoque didático da produção científica. São Paulo: EPU, 2001.

VIEIRA, A. C. P.; GARCIA, J. R.; BRUCH, K. L. Análise econômico-ecológica dos efeitos da mudança climática na região delimitada pela Indicação de Procedência 'Vales da Uva Goethe' em Santa Catarina – Brasil. In: Congresso Internacional Sistemas Agroalimentares

Localizados. Florianópolis, 2013.

VIEIRA, A.C.P.; GARCIA, J. R.; BRUCH, K. L. Efeitos das mudanças climáticas nos Vales da Uva Goethe sob a ótica da economia ecológica. Ambiente e Sociedade (CAMPINAS), V.18. 2015.

VIEIRA, A.C.P.; WATANABE, M.; BRUCH, K.L. Perspectivas de desenvolvimento da vitivinicultura em face do reconhecimento da Indicação de Procedência dos Vales da Uva Goethe. Revista Geintec, v.2, 2012, p.327-343. Disponível em:. Acesso em: 10 fev. 2015.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.