Migrações internas no Brasil: tendências para o século XXI

Rosana Baeninger

Resumo


O texto analisa as migrações internas no Brasil com ênfase nas tendências atuais do século 21. Objetiva traçar um breve histórico das migrações a partir dos anos 1970 e as novas direções e sentidos das migrações no país. Indica que o cenário migratório do século 21 apresenta dois grandes vetores redistributivos nacionais, um vetor caracterizado pela “dispersão migratória metropolitana” - que em nível nacional é marcado pelos significativos volumes de migrantes de retorno interestaduais, em especial que partem das metrópoles brasileiras para outros estados - e o segundo vetor em âmbito intra-estadual que também sai das metrópoles, com a conformação de importantes fluxos migratórios metrópole-interior, com a “interiorização migratória”. O estudo propõe também o entendimento das migrações a partir da rotatividade migratória, em função da fluidez da inserção das localidades na divisão social do trabalho dentro e fora do país.

 

Palavras-chave


Brasil; Migrações; Tendências atuais.

Texto completo:

PDF

Referências


BAENINGER, R. Fases e Faces da Migração em São Paulo. NEPO-UNICAMP/FAPESPCNPq, 2012

BAENINGER, R. Região, Metrópole e Interior: Espaços Ganhadores e Espaços Perdedores nas Migrações Recentes. Brasil, 1980-1996. Tese de Doutorado. IFCH/UNICAMP, 1999.

BECK, U. Risk Society: Towards a new modernity. Sage Publications, London, 1992.

BILSBORROW, R. E. (org.). Migration, urbanization and development: new directions and issues. New York : UNFPA/Kluwer, 1996.

BRITO, F. (1997), “População, espaço e economia numa perspectiva histórica: o caso brasileiro”, Tese de Doutorado, Faculdade de Ciências Econômicas, CEDEPLAR/UFMG.

BRITO, F e CARVALHO, J.A. As migrações internas no Brasil: as novidades sugeridas pelos Censos Demográficos de 1991 e 2000 e pelas PNADs recentes. Parcerias Estratégicas, CGEE, n.22, junho 2006.

CANO, W. Migrações, desenvolvimento e crise no Brasil. Campinas : Instituto de Economia/UNICAMP, 1996.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. Paz e Terra, 1999.

CELADE (Centro Latinoamericano de Demografia). Dinâmica de la población en las grandes ciudades en América Latina y Caribe. Documentos Docentes, Santiago de Chile, 1994.

CHAPMAN, M.; PROTHERO, R. M. Themes on circulation in the Third World. Circulation in Third World countries. Londres: Routledge & Kegan Paul, p. 1–26, 1985.

COURGEAU D. Méthodes de Mesure de la Mobilité Spaciale: migration internes, mobilité temporaire, navettes. L’Institut National D’Estudes Démographiques, Paris, 1988.

CUNHA, J. M. e BAENINGER, R. Cenários da Migração no Brasil nos anos 90. Cadernos do CRH, Salvador, v.18, n.43, jan/abr.2005

DOMENACH, H.; PICOUET, M. El caráter de reversibilidad en el estudio de la migración. Notas de Población, Santiago de Chile, CELADE, n.49, 1990

EBANKS, E. G. Determinantes socioeconómicos de la migración interna. Santiago de Chile, CELADE, 1993.

FARIA, V. Cinqüenta anos de urbanização no Brasil: tendências e perspectivas. Novos Estudos CEBRAP 29, São Paulo, p.98-119, mar.1991.

GIDDENS, A. As Conseqüências da Modernidade. SP, Editora UNESP, 1991.

HARVEY, D. A Condição Pós-Moderna. Editora Loyola, São Paulo, 1992.

HAKKERT, R. e MARTINE, G. Tendências Migratórias recentes no Brasil: as evidências da PNAD de 2004. Parcerias Estratégicas, CGEE, n.22, junho 2006.

LATTES, A. E. Population distribution in Latin America: is there a trend towards population deconcentration? In: Population, distribution and migration. New York : United Nations, 1998.

LEE, E. S. Uma teoria sobre a migração. In: MOURA, H. (Org.). Migração interna: textos selecionados. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil S.A., 1980. (original 1960)

MARTINE, G. “A redistribuição espacial da população brasileira durante a década de 80”, Textos para Discussão 329, Brasília.1994

MARTINE, G. A evolução espacial da população brasileira. In:AFFONSO, R. B. A.,

SILVA, P. L. B. (orgs.). Desigualdades regionais e desenvolvimento (Federalismo no Brasil). São Paulo: FUNDAP/Ed. UNESP, 1995. p.61-91.

MARTINE, G.; Carvalho, J. A. M. (1989), Cenários demográficos para o século 21 e algumas implicações sociais, Campinas, Editora da UNICAMP. (Trabalho apresentado no seminário Brasil Século XXI).

MARTINE, G., CAMARGO, L. Crescimento e distribuição da população brasileira: tendências recentes. Revista Brasileira de Estudos de População, Campinas, ABEP, 1(2), p.99-143, jan./dez.1984.

OJIMA, R. Instituições políticas e Mudança Ambiental: os novos arranjos institucionais na gestão de recursos hídricos e suas interfaces políticas. UNICAMP, Dissertação de Mestrado, Campinas, 2003.

PACHECO, C. Fragmentação da nação. Campinas: Instituto de Economia/UNICAMP, 1998.

SINGER, P. (1973). Migrações internas: considerações teóricas sobre o seu estudo. Economia política da urbanização. São Paulo: Editora Brasiliense e CEBRAP, p. 29-60.

SKELDON, R. Population Mobility in Developing Countries. London; New York: Bedhaven Press, 1990.

SPAAN, E. Labour circulation and socioeconomic transformation. The case of East Java, Indonesia. Netherlands Interdisciplinary Demographic Institute - Report n. 56, The Hague, 1999.

STARK, O.; TAYLOR, J. E. Relative deprivation and international migration. Demography, v. 26, n. 1, p. 1-14, 1989

SASSEN,S. The Mobility of Labor and Capital. Cambridge University Press.1988.

VILLA, M., RODRIGUEZ, J. Dinámica sociodemográfica de las metrópolis latinoamericanas. In: Grandes ciudades de América Latina: dos capítulos. Documentos Docentes, Santiago de Chile, Centro Latinoamericano de Demografia-CELADE, Naciones Unidas-FNUAP, 1994.

ZELINSKY, W. The hypothesis of the mobility transition. Geographical Review, v. 61, n.2, p. 219 – 249, 1971.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.