Verificando a hipótese da desindustrialização pela ótica da pauta de importação e câmbio

Nelsivan Gonçalves Bispo, Rafael Cardoso Cunha, Luciano Ricardo Menegazzo

Resumo


Este artigo discute a hipótese de desindustrialização no Brasil a partir de indicadores não usualmente encontrados na literatura com base em dados sobre as importações e o câmbio. No compêndio geral, onde se faz um apanhado dos debates ao longo do tema, dados relativos à produção por intensidade tecnológica e emprego apontam que o setor manufatureiro ainda é importante, contrariando a maioria das conclusões. Mostra-se, por conseguinte, a visão de que o câmbio é uma variável importante no desempenho da indústria tanto para facilitar a sua dinâmica nos mercados interno e externo, como na importação de máquinas e equipamentos, colaborando para a formação bruta de capital fixo.

Palavras-chave


Desindustrialização; câmbio; importação; setor industrial.

Texto completo:

PDF

Referências


BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Maldição dos recursos naturais. Folha de São Paulo, São Paulo, 06/06/2005.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos; MARCONI, Nelson. Doença Holandesa e Desindustrialização. Valor Econômico. 2008

CLARK, Colin. The conditions of economic progress. London: MacMillan. 1957

DE NEGRI, F. Conteúdo tecnológico do comércio exterior brasileiro: o papel das empresas estrangeiras. Texto para Discussão, n. 1074. Brasília: IPEA. 2005

DIAS, R. F.; PINHEIRO, B. R.. Análise da pauta de exportações brasileiras com base nos critérios da UNCTAD para os anos de 1989-1996-2006: Como tem sido a inserção brasileira no comércio internacional? Relatório Tópicos Especiais NEC. Salvador, Bahia. 2007

FURTADO, C.. Introdução ao desenvolvimento: enfoque histórico-estrutural. São Paulo: Paz e Terra. 2000

GALA, P. “Real Exchange Rate Levels and Economic Development: theoretical analysis and econometric evidence”. Cambridge Journal of Economics, 2008.

MARCONI, Nelson & BARBI, Fernando. Taxa de câmbio e composição setorial da produção: Sintomas de desindustrialização da economia brasileira. Textos para discussão 255. FGV, 2010.

NASSIF, André. “Há evidências de desindustrialização no Brasil?”. Revista de Economia Política, vol. 28(1): 72-96. 2008

OREIRO, J.L & FEIJÓ, C. “Desindustrialização: conceituação, causas, efeitos e o caso brasileiro”. Revista de Economia Política, Vol.30, 2010.

OREIRO, J. L.; Araújo, E. (2010). “Câmbio e Contas Externas: análise e perspectivas” . Valor Econômico, São Paulo, p. A12 – A12, 18 out.

OREIRO, J.L; MARCONI, N. (2011). “Câmbio: adiar o ajuste pode sair caro”. Valor Econômico, São Paulo, p. A15 – A15, 13 mai.

PALMA, Gabriel. “Four sources of ‘de-industrialisation’ and a new concept of the ‘Dutch Disease”, in Ocampo, J. A., org. Beyond Reforms: structural dynamics and macroeconomic vulnerability, Stanford University Press and World Bank. 2005

SEQUEFF, Gabriel C. “Controvérsias sobre a desindustrialização no Brasil”. IV Encontro Internacional da associação Keynesiana brasileira. Rio de Janeiro, 2011.

SILVA, Vera Martins. Análises da conjuntura 2010. Informativo FIPE. 2010

SOARES, Cristiane & TEIXEIRA, Joanílio R. Uma abordagem econométrica de desindustrialização no caso brasileiro: elementos para o debate. UNB, 2010.

ROWTHORN, R. & RAMASWAMY, R. “Deindustrialization: causes an implications”. International Monetary Fund, Staff Studies for the Economic Outlook, 1997.

TREGENNA, F. “Characterizing deindustrialization: an analysis of changes in manufacturing employment and output internationally”. Cambridge Journal of Economics, Vol. 33. 2009

OREIRO, J.L & FEIJÓ, C. “Desindustrialização: conceituação, causas, efeitos e o caso brasileiro”. Revista de Economia Política, Vol.30, n.2. 2010

GALA, P. “Real Exchange Rate Levels and Economic Development: theoretical analysis and econometric evidence’. Cambridge Journal of Economics, 13, 395-412. 2008


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Rev. NECAT, ISSN 2317-8523, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.